Por nós, para nós: o poder da coprodução e da coprestação de serviços de saúde

the_power_of_co-design_and_co-delivery_report_coverO relatório reúne o aprendizado prático e resultados de práticas de coprodução e coparticipação na prestação de serviços, visando a criar um sistema de saúde guiado pela participação dos cidadãos.

Principais conclusões

  • O planejamento da atenção médica, o planejamento do percurso e o planejamento do bem-estar permitem ao paciente identificar suas próprias metas e aspirações, e a navegar nos serviços que o ajudarão a alcançá-los.
  • O desafio é utilizar a cultura do trabalho colaborativo e sua propagação, e incorporá-la a novas configurações, incluindo-a como padrão nos serviços de cuidados primários e intensivos de atenção à saúde e na governança.
  • A prototipagem é uma abordagem de desenvolvimento e ensaio de ideias em sua fase prematura, antes que recursos de grande porte sejam empenhados em sua execução. É uma forma rápida de avaliar e validar o impacto e gerenciar riscos.
  • É muito mais fácil projetar um serviço do que projetar um sistema. No entanto, a concepção de um serviço radicalmente diferente exige frequentemente o redesenho do sistema – para prover os espaços, oportunidades, competências e suporte que possibilitem a criação de novos serviços.

O foco da abordagem People Powered Health (Empoderamento dos Cidadãos em Saúde) é a propriedade coletiva da saúde e do bem-estar. Os profissionais precisam partir do seguinte princípio: não conhecer necessariamente a resposta correta é um desafio significativo.

A criação de um sistema de saúde orientado pela participação dos cidadãos, e não pelas instituições que propiciam a atenção à saúde, requer envolvimento em todas as etapas – desde a concepção do projeto até a prestação ou utilização do serviço e sua avaliação. Tal postura reconhece que aqueles que fornecem e utilizam os serviços deveriam ter igualdade de direitos, tanto na concepção quanto na prestação de serviços de saúde.

Essa postura exige ir além de lemas como ‘compromisso’, ‘participação’ e ‘foco nas pessoas’, e avançar no sentido de realizar uma verdadeira coprodução e coparticipação em cada nível do serviço de saúde. Existem muitas definições e muitas facetas de coprodução e coparticipação na prestação de serviços. O que todos eles têm em comum é um ethos e o reconhecimento de que tanto aqueles que fornecem os serviços quanto os que os utilizam deveriam ter um papel fundamental na igualdade de direitos e na forma como esses serviços são concebidos e prestados.

Por nós, Para nós: o poder da coprodução e da coparticipação na prestação de serviços é uma das séries de materiais de ensino que explanam porque o programa People Powered Health funciona, qual sua feição e os principais recursos necessários para replicá-lo com sucesso em outros países.

Este vídeo descreve em linhas gerais os princípios de coprodução e coparticipação na prestação de serviços na perspectiva de melhorar nossos sistemas de atenção à saúde

Autores

Martha Hampson, Peter Baeck e Katharine Langford.

 

Clique aqui para baixar o exemplar:
www.nesta.org.uk/publications/us-us-power-co-design-and-co-delivery