Instituto Adolfo Lutz abre Chamamento Público para Teste de Diagnóstico de Tuberculose

tuberculose

Instituto Adolfo Lutz abre Chamamento Público para Teste de Diagnóstico de Tuberculose

Foi publicado no dia 20 de março de 2017, o Chamamento Público de Potenciais Parceiros para Desenvolvimento de Teste Molecular de Diagnóstico da Tuberculose e Micobacterioses, no site do Instituto Adolfo Lutz, nas versões português e inglês.

O Chamamento faz parte do projeto São Paulo – Inovação Aberta em Saúde, realizado pelo Governo do Estado em parceria com o Reino Unido, e seu escopo é o desenvolvimento de um produto que seja capaz de identificar, em uma única etapa, o diagnóstico da tuberculose e o padrão de resistência dos antibióticos ao diagnóstico do bacilo detectado.

A fabricação do teste de diagnóstico deve ser feita no Brasil, com o acompanhamento de todas as etapas de desenvolvimento pelo Instituto Adolfo Lutz, incluindo as medidas de aprovação e incorporação do produto junto aos órgãos reguladores.

As organizações interessadas em participar vão contar com o apoio do Instituto Adolfo Lutz, referência no Estado no diagnóstico da tuberculose, que vai disponibilizar laboratórios e a experiência dos profissionais do Núcleo de Tuberculose e Micobacteriose (NTM).

Veja aqui a publicação no Diário Oficial.

 

Como participar

Cada organização ou grupo de empresas e institutos deve apresentar uma única proposta.

As propostas deverão ser submetidas por meio de formulário eletrônico disponibilizado no site do Núcleo de Inovação Tecnológica do Instituto Adolfo Lutz (NIT-IAL) – http://www.nit.ial.sp.gov.br.

Os pedidos de informação ou esclarecimentos a respeito do Chamamento deverão ser endereçados ao Núcleo de Inovação Tecnológica do Instituto Adolfo Lutz (NIT-IAL), por meio do endereço eletrônico nitial.dg@ial.sp.gov.br

Prazos

Envio das propostas pelo formulário eletrônico 03 de abril de 2017 a 03 de julho de 2017
Análise das propostas por comissão técnica do Instituto Adolfo Lutz 04 de julho de 2017 a 17 de agosto de 2017
Divulgação do resultado da análise das propostas, na página do NIT-IAL 18 de agosto de 2017

 

Dados sobre Tuberculose

Desde 2003, a Tuberculose é uma das doenças definidas como prioritárias pelo Ministério da Saúde. O Brasil possui uma média de 71 mil casos novos e 4.500 óbitos entre 2006 e 2015. Ocupa a 20ª. posição na lista dos 30 países com alta carga de TB; e a 19ª. posição na lista dos 30 países  com alta carga de TB/HIV.

A tuberculose associada à infecção pelo vírus HIV e à ausência de tratamento adequada para cada caso promoveu aumento da resistência aos fármacos e o aparecimento de formas multirresistentes. Considera-se multirresistente, casos que apresentem resistência in vitro à rifampicina e à isoniazida e a mais um terceiro fármaco, utilizado nos esquemas padronizados de notificação e tratamento (http://www.scielo.br/pdf/rsp/v41s1/6570.pdf).

O Estado de São Paulo diagnostica o maior número absoluto de casos de tuberculose no país, e o aumento da agilidade no diagnóstico e tratamento da tuberculose, permitindo adequar o tratamento a cada caso, representam um enorme desafio. Atualmente, o tempo de análise dos resultados leva cerca de 60 dias, em um processo lento e fragmentado e que exige diversas análises.

Em 2016, no Estado de SP foram 16.906 casos novos, com uma taxa de incidência de 38 casos por 100.000 habitantes. Isso representa uma alta demanda por testes de diagnóstico. Em 2015, foram realizados 138.596 testes rápidos moleculares que, somados às 231.458 baciloscopias, representam a necessidade anual de exames para diagnóstico de tuberculose, do Estado de São Paulo.

Para maiores informações sobre Tuberculose no Brasil e no Estado de São Paulo, consulte

Boletim Epidemiológico

Ministério da Saúde, com séries históricas e indicadores

www.portalsaude.saude.gov.br/index.php/o-ministerio/principal/leia-mais-o-ministerio/741-secretaria-svs/vigilancia-de-a-a-z/tuberculose/11485-situacao-epidemiologica-dados

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *